BENEFÍCIOS DO TRATAMENTO DE FISIOTERAPIA EM PACIENTES COM QUEIMADURA

domingo, 11 de abril de 2010


Acadêmica: Mayse Alves

Queimadura é uma lesão dos tecidos orgânicos em decorrência de um trauma de origem térmica, que pode variar desde uma pequena bolha ou flictena até formas mais graves capazes de desenvolver um grande número de respostas sistêmicas.
As queimaduras se dão quanto a profundidade e extensão. Quanto a profundidade: As queimaduras atualmente são classificadas como de espessura parcial (1º e 2º graus) e espessura total (3º grau), indicando um comprometimento progressivo dos tecidos mais profundos.
Primeiro grau - Acometimento apenas do epitélio( epiderme) com presença do eritema e dor. A cicatrização pode levar de 3 a 5 dias . Segundo grau - O epitélio e parte da derme são destruídos, porém os anexos dérmicos são poupados, permitindo a reepitelização. Elas são mais dolorosas, produzem bolhas e geralmente curam-se sem deixar cicatrizes hipertróficas . A cicatrização pode levar de 15 a 30 dias. Terceiro grau- Toda a espessura da pele e seus anexos são destruídos atingindo o tecido celular subcutâneo e as vezes até aponeuroses e músculos. Ao exame, não existem vesículas íntegras, a derme esta intensamente pálida, a sensibilidade está abolida e os tecidos mais profundos estão endurecidos. Não há cicatrização espontânea. Quarto grau- Envolve a completa destruição de todos os tecidos, desde a epiderme até (e inclusive) o tecido ósseo subjacente. Ocorre normalmente em resultado do contato com a eletricidade. Serão necessárias a extensa excisão cirúrgica e, possivelmente amputação. As queimaduras são causadas por energias térmicas, elétrica, química e radioativa. O calor é responsável por 85% a 90% das queimaduras na população. Muitas ocorrem no trabalho ou em acidentes de carro e outros tipos de colisões, enquanto 75% ocorrem no domicilio especialmente na cozinha com alimento e líquidos quentes e no banheiro com água quente, equipamentos elétricos e aproximadamente 35% das queimaduras graves envolvem crianças. O tratamento da cicatrização da ferida oriunda de queimadura consiste em: Hidroterapia ou balneoterapia (banho de banheira, banho de tanque ou chuveirada) a fim de facilitar as técnicas de debridamento da área atingida e troca de curativos diários; manutenção de uma nutrição adequada; hidratação venosa; profilaxia da hipotermia; controle da dor com analgésico e anestésicos; manutenção da mobilidade articular com realização de sessões de fisioterapia diariamente; aceitação de métodos de controle de infecção com a administração de antimicrobianos tópicos e cicatrizantes (sufadiazina de prata, irusol); avaliação e monitorização da ferida; tratamento cirúrgico quando necessário (enxerto, correções plásticas). Quanto ao tratamento fisioterapêutico se dá através do correto posicionamento do membro, órteses e próteses, cinesioterapia, massagem, hidroterapia, fisioterapia respiratória e eletroterapia.
POSICIONAMENTO - O correto posicionamento do membro é importante na prevenção de deformidades, pois o paciente adota uma posição confortável que pode gerar fibrose e rigidez articular que podem levar à seqüelas definitivas. Portanto o paciente não deve ser mantido na mesma posição por longos períodos, havendo necessidade de alternâncias constantes, a fim de minimizar a instalação de contraturas, prevenir bolhas e escaras, prevenir edemas (mantendo os membros elevados, melhorando o retorno venoso e linfático).
USO DE PRÓTESE E ÓRTESES - O posicionamento do membro deve ser feito em uma posição antideformidade, que será garantido por meio de órteses. As talas ou órteses podem ser estáticas ou dinâmicas. Além da imobilização as talas exercem uma pressão que irá causar um achatamento e um alongamento da cicatriz, sendo assim, ela permite ser remodelada à medida que a contratura melhora.
CINESIOTERAPIA - A cinesioterapia com exercícios de mobilização ativo e passivo que faz a preservação dos movimentos do membro queimado, mantendo a função de deslizamento dos tendões, amplitude de movimento e força muscular. A movimentação deve ser iniciada assim que o paciente apresentar condições clínicas necessárias para a reabilitação. São contra-indicados principalmente na fase aguda, técnicas de manipulação agressivas, pois podem haver excessivo estiramento da pele e lesões articulares. O ganho ocorrido durante os exercícios podem ser mantidos através do uso de órteses.
MASSAGEM - A massagem tem papel fundamental na reabilitação do paciente queimado. As mais indicadas são: Massagem clássica( melhora circulação e facilita a penetração de agentes lubrificantes, drenagem linfática, Massagem transversa profunda( rompe aderências, possibilitando o aumento na maleabilidade tecidual), massagem respiratória para mobilização de secreções.
FISIOTERAPIA RESPIRATÓRIA - As queimaduras podem gerar uma deformidade torácica levando ao aparecimento de doenças restritivas. A espirometria diminui o VRE melhorando a expansão pulmonar e reduzindo o risco de complicações secundárias a queimadura do tórax. Exercícios proprioceptivos do diafragma e reeducação diafragmática proporcionam melhora na elasticidade às áreas comprometidas e maior mobilidade à caixa torácica.
TENS - Auxilia no controle da dor e que essa aplicação durante 20 a 30 minutos tem efeitos positivos com programação de troca de curativos.
ULTRA-SOM - Os efeitos térmicos dessa categoria incluem alívio da dor, da inflamação aguda ou crônica, inibição dos espasmos musculares, aumentando ainda a extensibilidade do colágeno. Os efeitos físicos não-térmicos desejáveis causam o aumento da permeabilidade celular, da síntese protéica, do fluxo de íons de cálcio e da passagem de metabólitos através da membrana celular, o que contribui de forma positiva na reparação tecidual.
LASER - Utiliza-se essa terapia para melhorar a cicatrização no tratamento de queimados e de pacientes que receberam algum tipo de enxerto ou retalhos, ativando a vascularização dessas regiões, assim como no tratamento de dores agudas e crônicas de diversos tipos, devido às suas características de aliviar a dor, estimular a reparação tecidual, reduzir o edema e hiperemia nos processos antiinflamatórios, prevenir infecções, além de atuar em parestesias e paralisias. Portanto o Fisioterapeuta tem papel importante na recuperação funcional do paciente com queimaduras, pois dispõe de técnicas capazes de tratar de forma eficiente e precisa, assegurando resultados satisfatórios.


REFERÊNCIAS:
RAMALHO, K. M.: Terapia com laser em baixa intensidade na prevenção dos efeitos causados pela elevada concentração de glicose na proliferação e migração de fibroblastos. São Paulo, 2007.
OLSSON, D. C., et al. Ultra-som terapêutico na cicatrização tecidual. Ciência Rural, santa Maria, RS, v.38, n.4, jul, 2008.
VALE, D.; FERNANDES, M. A. V.; FERREIRA, M. H. O.: Intervenção fisioterapêutica na prevenção de complicações respiratórias na criança com queimadura tórax grau I e II. Barbacena, MG
SILVA, Hilda Thiare Souza da, et al. Queimaduras: um estudo de caso na unidade de tratamento de Queimados do Hospital Público do Oeste, Barreiros – BA.
LEITÃO, R. E. A., LEITÃO, A. V. A., Medicina de Reabilitação: manual prático, Revinter, Rio de Janeiro, 2006.
FERNANDES, D. V., M. A. V., FERREIRA, M. H. O.:ntervenção Fisioterapêutica na Prevenção de Complicações Respiratórias na Criança com Queimadura Tórax Grau I e II. Minas Gerais.
GUIRRO, Elaine, Guirro, Rinaldo. Fisioterapia Dermato-Funcional: fundamentos, Recursos, Patologia. 3º edição. Manole, SP, 2004.

1 comment

Anônimo disse...

OLÁ...PARABÉNS PELO TRABALHO

9 de maio de 2010 15:27

Postar um comentário

COMENTE, PEÇA SEU ASSUNTO PREFERIDO OU TIRE SUAS DÚVIDAS!